Comendo Fora #6 Pici

Quando soube que o Picci recebeu o Prêmio de Melhor Novidade e Melhor Italiano de 2016, fiquei supercurioso. A Casa é chefiada por Thiago Berton. Com passagens por cozinhas de peso e que fazem parte do cenário gastronômico atual, Berton vem para somar às cozinhas cariocas. Sem perder o cuidado e a delicadeza, o Picci tem arrancado muitos elogios dos comensais que por lá passam, vide seus dois prêmios em tão pouco tempo de vida. O menu bem elaborado e acessível consegue agradar a todos.
Fui conferir um pouco do que a Casa oferece como gastronomia italiana artesanal. Ao chegarmos, eu e a minha fiel companheira, a Senhora Pds, fomos recebidos prontamente pela hostess à porta e informados que a Casa estava cheia. Eram 14h da tarde de um sábado. Por falta de costume, não fiz reserva, achando eu que encontraria a Casa com a tradicional mesa para duas pessoas nos esperando. Aguardamos cerca de quinze minutos do lado de fora, que conta com espaços para as pessoas sentarem e desfrutarem de bebidas enquanto aguardam – demos sorte, uma das mesas ficou vaga quase na hora em que chegamos.

(Imagem: Memoires Goumandes).
A Casa é pequena – 48 lugares –, o que dá um ar mais acolhedor para os clientes. A frente da Casa é envidraçada, com o nome da mesma decorando a fachada. Nas paredes, quadros de grandes nomes do Jazz decoram o ambiente, enquanto nas caixas de som as vozes dos mesmos se fazem presentes.
Fomos atendidos pelo garçom que prontamente nos trouxe o menu e ofereceu algo para bebermos. De fato, os valores são bem atraentes e convidativos. Escolhi a Carne Cruda (R$ 28,00), espécie de steak tartare que é servido com azeite trufado e uma gema de ovo de codorna em cima, acompanhado também de torradinhas finíssimas – que, diga-se de passagem, estavam deliciosas.

Carne Cruda (R$ 28,00).
A Senhora Pds ficou com a Insalata de Barbabietola (R$ 24,00), salada de beterraba assada, ricota, rúcula e vinagrete de castanha do Pará. “Leve, correta, mas escolheria outra opção” – comentou a respeito.

Insalata de Barbabietola (R$ 24,00).
Escolhemos os nossos pratos principais e eles rapidamente foram servidos. Eu optei pelo Pici Con Salsiccia, Shitake i Rosmarino (R$ 49,00). Massa fresca que leva o nome da Casa, é servida com molho de linguiça artesanal, shitake e alecrim. Como é de praxe nos restaurantes italianos, ao servir pratos de massas, os garçons ralam queijo parmesão sobre o prato, na frente do cliente. A massa estava al dente, ponto que sempre prezo. A meu ver, o molho estava um pouco ácido, tornando o prato pesado no fim. No conjunto geral, o prato não chegou ao auge do que poderia ser. Mesmo assim, com alguns ajustes, acredito que comeria novamente.

Pici Con Salsiccia, Shitake i Rosmarino (R$ 49,00).
A opção da Senhora Pds foi a Lasagna di Melanzane Gratinate (R$ 38,00). “A lasanha foi o ponto alto da refeição, leve e super saborosa” – disse ela.

Lasagna di Melanzane Gratinate (R$ 38,00).
Finalizamos com duas sobremesas, eu com o tradicional Tiramisù (R$ 28,00), versão feita com pão de ló molhado com calda de café, creme mascarpone e cacau. A versão apresentada consegue deixar ainda mais leve esse tipo de sobremesa, que geralmente é feito com biscoito champanhe. Fiquei muito feliz com o último prato, encerrando esta que foi uma ótima experiência de cozinha de raiz com um toque do contemporâneo.

Tiramisù (R$ 28,00).
A Senhora Pds, da mesma forma, ficou feliz com o seu prato, optando pela Torta Caprese Com Gianduia (R$ 28,00), torta de amêndoas, creme de avelã e chocolate. “Com o dulçor na medida certa” – disse. E ainda complementa: “Fiquei surpresa com esse sorbet que acompanha, não estava descrito no menu”.

Torta Caprese Com Gianduia (R$ 28,00).
Encerramos o almoço satisfeitos e, de maneira geral, com a certeza de um possível retorno. A Senhora Pds não vê a hora, e já tem em mente o que irá pedir na próxima vez:
“Quero provar aqueles bolinhos” – comentou sobre os bolinhos de risoto, uma das opções de petiscos da Casa.

 

Ambiente – Acolhedor.
Comida – Acessível.
Serviço – Atencioso.

 

Pici.
Rua Barão da Torre, 348 – Rio de Janeiro
De terça-feira a quinta-feira,
das 12h às 15h/ 19h às 00h.
Sexta-feira de 12h às 15h/ 19h às 01h.
Sábado 12h
às 16h/ 19 às 01h.
Domingo de 12h às 17h.
Não esqueçam de comentar e compartilhar nas redes sociais, isso faz uma grande diferença!
Até a próxima.

Instagram: @pdsblog

 

Gostou deste post?

Que tal receber conteúdo como este diretamente em seu email?

Você pode gostar também

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *