Comendo Fora #4

Eram bodas de barro*, e estávamos à procura de um lugar legal e acessível pra comemorarmos.

Quando eu como fora, sempre espero algo no mínimo simples, mas bem executado e apresentado. Desta vez, não foi diferente: estávamos comemorando mais um ano de casados e queríamos sair do trivial, logo, escolhemos frutos do mar.

Quando éramos namorados, certa vez fomos ao Siri, restaurante de frutos do mar localizado na Ilha do Governador. Na época, tivemos uma experiência bastante simplória – estávamos com pouco dinheiro –, porém agradável. Prometemos um ao outro que, um dia, ainda iríamos voltar e aproveitar melhor o restaurante.

Anos depois, agora casados, ficamos tentados a retornar, entretanto, escolhemos o restaurante Siri situado em um shopping da Zona Norte do Rio. Sempre passei pela porta desse estabelecimento e nunca tinha dado tanto crédito a ele, que aparentava ser pequeno quando visto de fora.

 

 

Fomos em um domingo à tarde e, logo ao chegar, uma hostess nos recebeu prontamente à porta. Tínhamos a opção de ficarmos nas mesas próximas à entrada, mas resolvemos explorar melhor o estabelecimento e escolher um bom lugar.

No hall de entrada, deparamo-nos com dois grandes salões, um no primeiro andar – onde estávamos – e, o que me surpreendeu, outro em um segundo andar. Do lado de fora, nunca tinha percebido que havia mais de um salão; e fiquei ainda mais surpreso ao perceber que, tanto o primeiro como o segundo, estavam abarrotados de clientes que já se serviam fartamente das porções que eram oferecidas.

 

Voltamos às mesas da entrada, que estavam mais tranquilas. Sentamos-nos, poucos minutos se passaram e fomos atendidos por um garçom que dava o máximo para atender outras tantas mesas que, diferentemente da nossa, estavam com 4, 6 e até mais pessoas.

Recebemos o cardápio e, para meu desânimo, os pratos – tirando as entradas – eram feitos sempre para duas, quatro ou seis pessoas. Se uma pessoa queria comer um bobó de camarão e outra um peixe grelhado seria – ao que parecia – impossível. De qualquer forma, resolvemos escolher um petisco para começar. Optamos por dividir uma casquinha de Siri (R$ 20,00), carro-chefe do lugar e que eu lembrava, de quando comi na primeira vez em que fui a outro restaurante Siri, ser ótima.

Não sei se quando provei pela primeira vez, por ser uma experiência nova, o sabor era mais pronunciado e marcante. Diferentemente dela, que fora servida em uma carapaça de um siri de verdade, a casquinha veio dessa vez servida em uma concha de plástico, o que não permitiu que fosse gratinada o suficiente. Nem o limão, servido em conjunto, conseguiu elevar muito a segunda experiência.

 

Casquinha de Siri (R$ 20,00)

 

Chamamos o garçom para pedirmos o prato principal e, como na primeira vez, ele nos atendeu prontamente. Eu estava de olho em um filé de truta à beurre meunière, enquanto minha companheira queria algo com camarão. Perguntei – no fundo, já sabendo a resposta – se era possível fazer uma porção para uma pessoa de um bobó que servia duas pessoas.

Fui informado que a casa não trabalhava desta forma, e as porções eram todas grandes. Insatisfeitos, mas conformados, optamos pelo bobó de camarão (R$ 120,00), que demorou um pouco. Ele foi servido em uma panela de barro, junto com uma porção de arroz em outra travessa.

 

Bobó de Camarão (R$ 120,00)

 

Para nossa infelicidade, a segunda opção também não agradou muito. A falta de sabor era gritante – e camarão sem sabor é algo bem estranho. Coloquei um sachê de sal inteiro e reguei com azeite, em uma tentativa frustrada de trazer “vida” ao prato.

Uma das coisas mais tristes de quando se vai a um restaurante é se sentir lesado por pagar uma quantia que não faz jus ao que foi oferecido. Não optei por sobremesa, temendo um final catastrófico, então resolvemos comer um brownie em outro lugar, que ajudou bastante a espantar o mau momento. No final das contas, ficou um sentimento de vazio, não de comida, pois a porção, que diziam ser para dois, serviria facilmente três pessoas, mas de insatisfação pelo que foi oferecido.

Se eu voltaria?! Talvez retornasse ao primeiro que fui, mas, ainda assim, com um pé atrás.

*Bodas de casamento – 8 anos de casamento – Bodas de Barro ou Papoula.

 

Ambiente – Amplo.
Comida – Faltou Tempero.
Serviço – Normal.

 

Não esqueçam de comentar e compartilhar nas redes sociais, isso faz uma grande diferença!
Até a próxima.
Meu email: [email protected]

Instagram: @pdsblog

Gostou deste post?

Que tal receber conteúdo como este diretamente em seu email?

Você pode gostar também

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *